2: 3: 5: 6: 7: 8:

sábado, 20 de janeiro de 2018

Mary McLeod Bethune

A linda história de Mary McLeod Bethune, uma das mulheres mais brilhantes da história dos Estados Unidos. Mary McLeod nasceu em 1875, na cidade de Mayesville, Carolina do Sul, Estados Unidos.
Filha de um casal liberto da escravidão e irmã de mais 16 pessoas, Mary ajudava a mãe a lavar roupas na casa de brancos. Um dia, com 12 anos, ela adentrou na casa de uma das clientes de sua mãe e apanhou um livro da estante, logo foi repreendida pela filha da dona da casa, que disse: “Você é negra, negros não sabem ler”.

Naquele momento, Mary percebeu que a coisa mais importante que desigualava brancos e negros era a alfabetização. Era final do século XIX e poucas salas no sul dos Estados Unidos aceitavam negros, McLeod pressionou a família para matriculá-la em uma sala de aula apenas para negros na Trinity Mission School, instituição dirigida pela ordem religiosa Presbiteriana. A família permitiu, mas a orientou a se virar, por serem humildes, seus pais não puderam proporcionar boas condições para que ela estudasse. Mary caminhava 16 km todos os dias para chegar à escola. Em pouco tempo, ensinou os pais e os irmãos a ler e a escrever, os membros da família foram os primeiros a experimentarem a vocação educadora de Mary.

Por se destacar como melhor aluna da escola, Mcleod conseguiu uma bolsa de estudos Instituto Dwight L. Moody, uma instituição religiosa que formava missionários e professores. Docente formada, iniciou sua carreira alfabetizando negros em fazendas e periferias americanas, de casa em casa, Mary levava a magia da leitura e escrita para os excluídos da sociedade americana. Foi a partir desse trabalho que ela ingressou na luta pelos Direitos Civis dos Negros, sendo uma das primeiras mulheres a organizar movimentos contínuos contra as leis Jim Crow (leis que garantiam a segregação racial).

Gostou, comente!

7 comentários:

  1. A educação sempre fazendo milagres...

    ResponderExcluir
  2. Essa é uma excelente história para se tornar um belo filme baseado em fatos reais!

    ResponderExcluir
  3. Me remete a um comentário feito por uma professora de literatura que me deixou saudades: a leitura é libertadora
    !

    ResponderExcluir
  4. Deve ter carregado uma montanha nas costas, pois se hoje é difícil, imagina naquele tempo, tem que respeitar.

    ResponderExcluir